Os TEXTOS que se seguem são pura FICÇÃO e qualquer semelhança com a REALIDADE é pura coincidência!
Este espaço permite-me dar-vos a conhecer todo o meu entusiasmo pelas palavras.


df @ 14:17

Qui, 02/04/09

Subitamente o murmúrio das conversas paralelas parou. O eco do meu gesto espalhou-se pelo espaço e inevitavelmente a curiosidade sobre o que se passava ali lançou-se sobre nós.

Sentia o meu corpo ser invadido por uma onda de choques electrizantes, que alimentavam naquele preciso momento a minha raiva.

Alguém me chamou à atenção, tocando-me no braço direito.

- Acho que este não é o melhor sítio para vocês discutirem - falou o Nuno.

- Sim, tens razão. - conclui.

Mas isso não interrompeu a minha ansiedade de o atacar.

Vesti o meu casaco preto e precipitei-me para a saída, sabendo que ele me acompanhava num passo mais lento.

- Mas tu pensas que sou idiota? Tenho escrita a palavra 'idiota' na testa para poderes mentir-me assim? - gritei.

- Mas não te menti - bradou ele.

- E esperas que acredite na tua palavra, depois de me teres dito que ias estar com a tua querida mamã, mas afinal encontro-te aqui com os teus amigos?

- Espero, sim - admitiu, aproximando-se de mim, tocando-me nos meus ombros.

- Larga-me. Não admito sequer que me toques.

- Foda-se. Mas estás a brincar comigo? - questionou, perdendo as estribeiras - Não significou nada para ti o que aconteceu esta manhã?

- NADA! - uma pequena mentira, disse para mim. - E não mudes de assunto, porque o que está em causa não foi o facto de termos passado a noite juntos, mas sim o facto de me mentires.

- Porra, já te disse que não te menti. Eu estive com a minha mãe, Ana.

- Pára de mentir, Miguel, estou farta de mentiras. Tu, o Márcio... Vocês são todos iguais! Uns mentirosos!

Irrompi pelo estabelecimento adentro, deixando-o só na rua, ao frio, sob a fraca luz da lua, que iluminara as minhas palavras amargas.

Peguei na minha carteira de pele vermelha, que se encontrava pendurada sobre as costas da cadeira e fiz o percurso inverso, ignorando a presença dele já no interior do café e dirigi-me até ao meu carro, que estava a escassos metros dali, numa rua transversal.

 

 



DESAFIO

Coloquei-vos há tempos o desafio de darem um TÍTULO à nova história que se irá desenvolver nos próximos meses aqui. Ainda não vos dei muita informação, a não ser que as personagens se chamam Rafael e Juliana e que trabalham na mesma empresa. Conforme vou publicando os posts, certamente irão perceber que há muitos segredos para serem revelados...
Além do título, também espero que deixem nos comentários o vosso feedback.
Obrigado
A Gerência

A licença do blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.


Rubricas:

Além de uma nova história a decorrer no blog, acompanhem também a nova rubrica do blog 'PERDIDOS E ACHADOS DA VIDA', pequenos textos que incidem sobre... Leiam e descubram...

Pesquisa
 
Contacto
Mail:
contosepontos@sapo.pt
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14

19
22

26
27
28
30


No baú...
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Citação do dia


Comentários recentes
Olá obrigada por me adiconares. Gostei mto de ler ...
http://asnossaspalavrasperdidas.blogs.sapo.pt/Novo...
Obrigado pelos elogios.Volta sempre!Quanto ao próx...
Há uns tempos que aqui não vinha . . . nem aqui ne...
Muito bonitas as tuas palavras...também sou uma ra...
Posts mais comentados
3 comentários
2 comentários
2 comentários
Eu escrevo para a...

Estou no...

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
blogs SAPO