Os TEXTOS que se seguem são pura FICÇÃO e qualquer semelhança com a REALIDADE é pura coincidência!
Este espaço permite-me dar-vos a conhecer todo o meu entusiasmo pelas palavras.


df @ 20:43

Seg, 12/05/08

 

Não me perguntes isso, João! Não me coloques nessa posição do não-retorno. Eu faço isso, eu é que comando isso... como não sei a resposta, peço que não o faças...

 

Tive mais uma oportunidade para viver. Tu deste-me mais uma oportunidade para aproveitar algo que não sei se quero. Deixa-me absorver essa ideia... deixa-me pensar o que quero fazer, deixa-me analisar se o sentimento que sinto por ti é suficientemente forte para me prender à vida. Ontem não o foi, não sei se hoje o será.

 

Amor. O que é isso? Há um ano senti que algo me impeliu para os teus braços. Mas agora não sinto que isso seja suficiente... Porém, consciencializar-me hoje, nesta cama gélida de hospital, que há a forte possibilidade - por tentar suicidar-me de novo ou simplesmente por decisão minha em afastar-te - que não te voltarei a ver, que não te terei novamente a meu lado quando acordar de manhã, que não voltarei a vislumbrar o teu sorriso, o teu riso acolhedor... Consciencializar-me que também te posso perder... Aguentaria tal golpe?

 

- Não quero que vás embora, quero-te aqui ao pé de mim. Preciso de ti.

- Foi assim tão difícil admitir que não queres estar sozinha? Que precisas de alguém ao teu lado? - Esboçou um ligeiro sorriso. Como eu gostava do sorriso dele.

 




df @ 19:55

Sex, 09/05/08

Vi o olhar incrédulo do João.

Não sei se por ter vivenciado algo tão doloroso como aquilo, se por nunca lhe ter contado.

 

- Porque nunca me disseste?

- Só a mim dizia respeito.

- Não sejas assim. Tens pessoas à tua volta que gostam de ti e só te querem ajudar a ultrapassar a perda dos teus avós.

- Mas não foram as pessoas nem tu que perderam os avós como eu. Ninguém sabe como eu me sinto.

- Enganaste. Tu não deixas as pessoas se aproximarem de ti, mas todas sabem o que sentes. Não te inibes em mostrar o teu isolamento.

- Pois, mas não fui eficaz. Estás aqui, não estás?

- Não seja por isso, queres que vá embora?

 

 




df @ 20:15

Ter, 06/05/08

Depois de covardemente ter desviado o meu olhar do dele, o quarto encheu-se de uma profunda interrogação e ele optou por me deixar sozinha. Que sina a minha...

Olhei o meu relógio pousado imóvel em cima de uma mesa de cabeceira metálica branco-hospital . Eram quatro horas. Hora do lanche. Uma mulher estranha de sorriso falso entrou com uma bandeja, que continha um pacote de bolachas e uma caneca de chá. Dieta?? Além de uma vigilância permanente, ainda tinha direito a uma refeição tão horrivelmente insossa.

Olhei novamente o relógio. Já tinha passado mais de uma hora depois de ele ter saído.

Regressou e eu sorri.

- Preparada para falar comigo? Se não o fizeres, acabas por falar com a tua psiquiatra. Como preferes?

- Nem com um nem com outro.

- Quando é que vais enfrentar a realidade, Luísa? Não podes continuar a ser covarde.

- Deixa-me.

- Não! Vais-me ouvir. Tu tens que aceitar que os teus avós morreram e que não podes fazer nada para alterar isso. É duro ouvir isto, mas eles morreram e pronto.

- Mas não foste tu que acordaste e olhaste para o lado e viste um corpo inerte, pois não? Não foste tu que acordaste depois de um dia doloroso com o velório do teu avô e na mesma cama que tu, estava a tua avó morta, pois não? Fui eu, fui eu!

 

 

 




df @ 18:36

Seg, 05/05/08

 

- O que queres fazer da tua vida?

 

Que raio da pergunta, João. Não vês que não sei . Não vês que estou perdida? Não sabes que estou no limbo da vida e da morte?

 




df @ 14:21

Dom, 04/05/08

- O ano passado aproximei-me de ti. Durante este tempo amei-te sem pedir nada em troca, a não ser o teu amor, ou o sentimento que restava dentro do teu coração cruel. Mas agora... agora estou a ficar farto que não lutes por ti, por nós. Eu não posso fazer tudo sozinho! - disse ele.

 

Estaria ele certo? Talvez tudo o que vivenciara nos últimos tempos me toldara a razão e os sentimentos. Tinha que aprender tudo de novo. Mas queria aprender tudo de novo?

 

Dúvidas. Dúvidas. Dúvidas. Estou farta de vocês. Deixem-me. Vocês podem-me abandonar. Não me importo de ficar sem vocês. Apetece-me gritar novamente. Grito silencioso. Grito mudo. Porque é que não consigo decidir o que quero e ponto final?

 

Não quero pensar mais em ti, avó. Não, como posso dizer isso? Como posso trair toda a dedicação de anos a mim? Mas eu quero viver, quero ser feliz, quero ser feliz com o João, quero dar uma oportunidade a nós, quero criar a minha família. Estou a tentar esquecer-te? Não, avó. Lembrar-me-ei sempre de ti. Queria estar ao pé de ti, ao pé de ti e do avô. Porque é que vocês foram embora? Porque tem que existir algo como a morte? Para terminar com a dor... será? 

 



DESAFIO

Coloquei-vos há tempos o desafio de darem um TÍTULO à nova história que se irá desenvolver nos próximos meses aqui. Ainda não vos dei muita informação, a não ser que as personagens se chamam Rafael e Juliana e que trabalham na mesma empresa. Conforme vou publicando os posts, certamente irão perceber que há muitos segredos para serem revelados...
Além do título, também espero que deixem nos comentários o vosso feedback.
Obrigado
A Gerência

A licença do blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.


Rubricas:

Além de uma nova história a decorrer no blog, acompanhem também a nova rubrica do blog 'PERDIDOS E ACHADOS DA VIDA', pequenos textos que incidem sobre... Leiam e descubram...

Pesquisa
 
Contacto
Mail:
contosepontos@sapo.pt
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


No baú...
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Citação do dia


Comentários recentes
Olá obrigada por me adiconares. Gostei mto de ler ...
http://asnossaspalavrasperdidas.blogs.sapo.pt/Novo...
Obrigado pelos elogios.Volta sempre!Quanto ao próx...
Há uns tempos que aqui não vinha . . . nem aqui ne...
Muito bonitas as tuas palavras...também sou uma ra...
Posts mais comentados
3 comentários
2 comentários
2 comentários
Eu escrevo para a...

subscrever feeds
Estou no...

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
blogs SAPO