Os TEXTOS que se seguem são pura FICÇÃO e qualquer semelhança com a REALIDADE é pura coincidência!
Este espaço permite-me dar-vos a conhecer todo o meu entusiasmo pelas palavras.


df @ 17:26

Sab, 25/04/09

- Não estou a interromper nada, pois não? - perguntou, o seu rosto avermelhado a transparecer mais curiosidade do que preocupação.

- Que ideia, senhor Augusto. Diga. Precisa de alguma coisa? - falei, levantando-me, não me apercebendo que a minha estatura era mais alta do que o seu simples metro e meio.

- Era só para lhes dizer que a missa está marcada para daqui a pouco, às cinco horas.

- Está bem. Obrigado por estar a tratar de tudo.

- A sua mãe, como é de esperar, ainda está muito devastada com isto tudo. Apesar dos problemas de saúde, ninguém esperava que... Você entende... - Senti que ele respirava com dificuldade, talvez por se recordar constantemente que tinha perdido um amigo. - O seu pai tinha os seus defeitos, era muito mandão, muito crítico, muito exigente com ele mesmo e com os outros, mas tinha um sentido de humor fantástico e mais para o fim, revelou ter um coração de ouro.

Tentei ignorar as qualidades, porque eu própria já só me lembrava dos maus momentos que tinha passado com ele...

Coloquei a mão no ombro do velhote e comecei a indicar-lhe o interior da casa, para a qual nos fomos dirigindo. O Ricardo foi-nos acompanhando mais atrás, introspectivo.

- Mais uma vez agradeço-lhe tudo o que tem feito por nós. Sou-lhe sincera, não conheci a faceta generosa de que todos falam, mas o meu pai realmente alguma coisa de bom deve ter feito, senão não entravam e saíam pessoas a toda a hora.

O senhor Augusto anuiu e despediu-se de mim por momentos, para ir ter com a sua esposa, ainda mais baixa que ele.

Reuni todas as minhas forças e fui até ao sofá de tecido creme, onde a minha mãe tinha feito tenda. Só tinha saído dali, para dormir na sua cama vazia, depois de tentar contrair o efeito do comprimido e para almoçar, por insistência da Noémia, na mesa da cozinha.

Sentei-me no lugar vazio, oposto à mãe do Ricardo e do Renato, e coloquei a minha mão em cima da dela, a pele mais enrugada que nunca. Parecia que em apenas um dia, o envelhecimento tinha sido acelerado e os seus cinquenta e oito anos estavam longe de estarem ali retratados.

Com alguma resistência, a minha mãe encostou a sua cabeça no meu ombro e mais uma vez chorou, um rio de lágrimas a caírem-lhe pela face. Mas aquele momento foi parco. Minutos depois, as suas atenções viraram-se para mais um casal que lhe tinha vindo dar as condolências e para uma conversa tímida com a Noémia.

 



DESAFIO

Coloquei-vos há tempos o desafio de darem um TÍTULO à nova história que se irá desenvolver nos próximos meses aqui. Ainda não vos dei muita informação, a não ser que as personagens se chamam Rafael e Juliana e que trabalham na mesma empresa. Conforme vou publicando os posts, certamente irão perceber que há muitos segredos para serem revelados...
Além do título, também espero que deixem nos comentários o vosso feedback.
Obrigado
A Gerência

A licença do blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.


Rubricas:

Além de uma nova história a decorrer no blog, acompanhem também a nova rubrica do blog 'PERDIDOS E ACHADOS DA VIDA', pequenos textos que incidem sobre... Leiam e descubram...

Pesquisa
 
Contacto
Mail:
contosepontos@sapo.pt
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14

19
22

26
27
28
30


No baú...
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Citação do dia


Comentários recentes
Olá obrigada por me adiconares. Gostei mto de ler ...
http://asnossaspalavrasperdidas.blogs.sapo.pt/Novo...
Obrigado pelos elogios.Volta sempre!Quanto ao próx...
Há uns tempos que aqui não vinha . . . nem aqui ne...
Muito bonitas as tuas palavras...também sou uma ra...
Posts mais comentados
3 comentários
2 comentários
2 comentários
Eu escrevo para a...

Estou no...

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
blogs SAPO