Os TEXTOS que se seguem são pura FICÇÃO e qualquer semelhança com a REALIDADE é pura coincidência!
Este espaço permite-me dar-vos a conhecer todo o meu entusiasmo pelas palavras.


df @ 13:08

Qua, 08/07/09

A viagem de Canelas para a Maia de carro foi feita envolta num intenso nevoeiro de dor, sofrimento, lágrimas e uma imensa agonia no estômago.

Depois de passarmos a tarde de Domingo juntos, de mão dada, recordando os nossos momentos de amor e carinho, o Tiago voltou a dormir lá em casa e acordámos de manhã, abraçados um ao outro. Sentia, com sinceridade, que estava ali a altura perfeita para recomeçarmos, após estes meses de separação. No final do dia, ele apareceu na loja e levou-me a jantar fora.

Porém, estes momentos idílicos rapidamente foram quebrados, quando nos dois dias seguintes não recebi um único telefonema da parte dele.

E agora exaltava-se porque eu não estava em casa? Porque eu estava a jantar com o Ricardo? E o que ele andou a fazer naqueles dois dias? Somente a trabalhar, a ir ao ginásio e a ir para casa dos pais?

Acho que me sentia ainda mais magoada do que no dia em que tomei a decisão de nos separarmos. Naquela altura, conseguimos manter o elo de amizade em nome do amor que ainda nos unia e como tal era, com relativa frequência, que nos víamos tanto em negócios como fora deles. Mas agora... Agora sentia que isso já não era possível.

- O que estás aqui a fazer, Tiago? - perguntei, ao vê-lo junto a um pilar da entrada coberta do prédio.

- Vm...

- Não achas que já ficou tudo dito ao telemóvel?

- Não - respondeu, lacónico.

- Sai daqui, Tiago, vai-te embora! - retorqui, levantando um pouco o tom de voz. - Sai daqui. - repeti.

Abri a porta principal e dirigi-me para o apartamento. Ele seguiu-me sem que eu o pudesse impedir.

- Eu não sei o que tu queres, Tiago, mas eu quero que tu saias.

- Mas não me vou embora. Vim cá para te ver e para saber como estavas.

- Já viste e já sabes que estou bem. Agora vai!

- Posso entrar? - perguntou, no hall, enquanto me via a tentar abrir a porta.

- Não acredito! Afinal o que tu queres? Discussões? Não chega as que temos tido? - finalmente consegui entrar para casa e do lado de dentro, continuei com o meu discurso exaltado - Ora num momento estamos bem ora num outro estamos aos gritos um com o outro. Isto não é vida! Isto não é o que quero para mim. Estou cansada disso. E agora ainda andas ciumento, quando não há motivo para tal! Cansei de vez, Tiago. Só faltava decidir o que fazer aqui com a casa. Já não é preciso mais reuniões, mais adiamentos. Amanhã mesmo vou entrar em contacto com imobiliárias. Coloca-se a casa à venda e depois divide-se o dinheiro. Adeus!

Fechei-lhe a porta e agarrei com força o puxador, para concentrar toda a dor naquele acto inútil. As minhas pernas começaram a fraquejar. Todo o meu corpo estava a perder o controle e acabei por me deixar cair no chão gelado, na tijoleira castanha. Um mar de lágrimas desceu pelo meu rosto e fui dominada por um choro incontrolável. Apetecia-me gritar, insultá-lo; queria insultar o mundo pela vida injusta que me tinha proporcionado quando criança e adolescente e agora nesta fase adulta tão cruel.

Tinha-me afastado propositadamente do meu primeiro grande amor, para ambos podermos ter uma segunda oportunidade neste campo. Porém, agora perdia o Tiago, devido a discussões, a teimosias, à não aceitação de vontades próprias, a ciúmes... A tanta coisa que já tinha perdido a conta! Só me podia agarrar ao meu sofrimento, à minha infelicidade, à minha constante busca pela justiça na minha vida, que era infrutífera. Chorar. Era só isso que me apetecia fazer.

Naquele chão gélido, enrolei-me sobre o meu corpo e continuei a chorar na esperança estúpida que alguém abrisse a porta e me dissesse que tudo iria-se compor, tal e qual esperava depois de uma tareia do meu pai.

 



DESAFIO

Coloquei-vos há tempos o desafio de darem um TÍTULO à nova história que se irá desenvolver nos próximos meses aqui. Ainda não vos dei muita informação, a não ser que as personagens se chamam Rafael e Juliana e que trabalham na mesma empresa. Conforme vou publicando os posts, certamente irão perceber que há muitos segredos para serem revelados...
Além do título, também espero que deixem nos comentários o vosso feedback.
Obrigado
A Gerência

A licença do blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.


Rubricas:

Além de uma nova história a decorrer no blog, acompanhem também a nova rubrica do blog 'PERDIDOS E ACHADOS DA VIDA', pequenos textos que incidem sobre... Leiam e descubram...

Pesquisa
 
Contacto
Mail:
contosepontos@sapo.pt
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
30
31


No baú...
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Citação do dia


Comentários recentes
Olá obrigada por me adiconares. Gostei mto de ler ...
http://asnossaspalavrasperdidas.blogs.sapo.pt/Novo...
Obrigado pelos elogios.Volta sempre!Quanto ao próx...
Há uns tempos que aqui não vinha . . . nem aqui ne...
Muito bonitas as tuas palavras...também sou uma ra...
Posts mais comentados
3 comentários
2 comentários
2 comentários
Eu escrevo para a...

Estou no...

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
blogs SAPO