Os TEXTOS que se seguem são pura FICÇÃO e qualquer semelhança com a REALIDADE é pura coincidência!
Este espaço permite-me dar-vos a conhecer todo o meu entusiasmo pelas palavras.


df @ 20:45

Qua, 29/07/09

Olhei o céu estrelado e expeli o fumo do cigarro, que tinha acabado de acender.

Aquele maço já morava há praticamente uma semana na minha carteira e apesar de não sentir necessidade da nicotina diariamente, transformava aquele preciso momento numa situação de suposta serenidade.

A noite estava amena e sossegada. Quase não se via vivalma na rua. Tudo estava a dormir. As luzes iluminavam os passeios, os carros e os gatos vadios.

O relógio digital da mesa-de-cabeceira marcava quatro da manhã quando acordei e decidi ir para a varanda. Sentei-me na cadeira e gozei da minha própria infelicidade. Só me conseguia lamentar e cismar nos problemas que tinha e voltava, como já era habitual nos últimos meses, a pensar na hipótese de voltar para Lisboa, o único local onde me tinha sentido realmente feliz.

Tornei a sentir vontade de chorar e não me fiz de rogada, deixando que toda a dor que sentia e que provocava um constante desconforto no estômago extravazasse.

Apenas por volta das sete horas é que regressei ao quarto. Sentia-me cansada, como se tivesse trabalhado mais de doze horas seguidas.

Quando voltei a acordar, já era quase meio-dia. Despi o pijama suado e fui tomar um banho. A água descia pelo meu corpo, retirando todas as impurezas de uma noite mal dormida.

Saí do duche e preprarei-me para enfrentar o espelho. Olhei-me e senti as mazelas que estas duas últimas noite tinham feito no meu rosto. Estava pálido e as olheiras acentuavam-se cada vez mais.

Saí do quarto e reparei que reinava um silêncio quase absoluto. Ouvia-se apenas o leve chilrear do canário avermelhado na sala e um qause pseudo-ruído do televisor.

- Conseguiste dormir alguma coisa? - perguntou a Filipa, ao aperceber-se que me sentia perdida ali no meio do corredor. - O Mário saiu com a Mariana. Foram até ao parque e depois iam até à mãe dele. Deve chegar só lá para a uma, uma e meia. Entretanto vou-te preparar qualquer coisa para comeres.

- Queres que te ajude em alguma coisa?

- Não te preocupes, querida. Vai para a sala, que eu já vou para lá. - passou carinhosamente a mão pelo meu braço e encaminhou-se para a cozinha.

O sofá preto de quatro lugares, mais chaise-longue, estava encostado à parede do lado esquerdo  e uma mesa de cor wengué situava-se mesmo em frente, em cima de um tapete vermelho. A televisão moderna estava em cima de um simples móvel, também de cor negra, a um canto. O outro móvel da sala ocupava parte da parede da direita, onde estavam livros, uma estante para carros de rally de colecção e meia dúzia de peças de decoração combinadas exactamente umas com as outras numas prateleiras.

A Filipa trouxe um tabuleiro com torradas, café e leite e ainda um copo de sumo de laranja natural, que tinha por hábito beber de manhã.

- Já percebeste que há alguma coisa errada... - lancei para o ar, virando-me para ela. A Filipa estava sentada no sofá, com as pernas cruzadas em cima.

- É evidente que estranhei a súbita visita e ainda por cima o facto de vires sozinha. Mas suponho que já te sintas preparada para falar...

- Nem por isso! - Sentei-me ao lado dela e peguei na caneca do leite, misturando um pouco de café. - Eu e o Tiago vamo-nos divorciar.

- Foste directa, Di! - disse, limpando uns requícios da bebida que tinham escorrido pelo queixo, depois de se ter entaldado, perante tal afirmação. Recompôs-se e retorquiu - Já tinha reparado que vocês não andavam bem, mas não pensei que já tivesse chegado a esse ponto.

- Há mais de dois meses que não estamos juntos, mas com a morte do meu pai aproximamo-nos. Mas com isso, voltei a casa, revi o Ricardo e o Tiago começou só a fazer disparates.

- Tanta revelação de uma só vez! Realmente, Diana, só memso tu. Custa-te a começar, mas quando o fazes, as revelações não páram. - ironizou a Filipa, bebendo mais um pouco do sumo. - Conta-me lá isso direitinho.

Resumi o menos que pude, pois a Filipa gostava de todos os pormenores numa boa história de vida.

- Agora vais-me explicar uma coisa, Diana. De qual gostas mais? - perguntou num tom jocoso.

- Isto não é um assunto para brincadeiras, Filipa. Apesar das discussões com o Tiago, nunca tivemos a certeza que a solução seria o divórcio. Mas depois apareceu o Ricardo... É que nunca esteve em causa o amor que eu e o Tiago sentíamos um pelo outro, mas agora...

- Pois, agora... Estás dividida entre dois homens! - exclamou.

- Filipa, não se apaga com facilidade um amor, uma relação de mais de cinco anos e muito menos um amor de infância, como se costuma dizer, qeu eu e o Ricardo tivemos.

- Sim, está certo. Então, diz-me o que te agrada mais nestes dois homens? É que eu não conheço o Ricardo, mas o Tiago sim, e sempre te disse que vocês eram o oposto...

 




meldevespas @ 15:07

Qui, 30/07/09

 

Há uns tempos que aqui não vinha . . . nem aqui nem a lado nenhum...
no entanto devo dizer que esta história está a ficar muito interessante, e consegues mesmo prender o leitor, da primeira à última frase.
Demora muito o próximo capítulo?

Beijinho


df @ 11:47

Sab, 01/08/09

 

Obrigado pelos elogios.


Volta sempre!

Quanto ao próximo capítulo, está a chegar...

DESAFIO

Coloquei-vos há tempos o desafio de darem um TÍTULO à nova história que se irá desenvolver nos próximos meses aqui. Ainda não vos dei muita informação, a não ser que as personagens se chamam Rafael e Juliana e que trabalham na mesma empresa. Conforme vou publicando os posts, certamente irão perceber que há muitos segredos para serem revelados...
Além do título, também espero que deixem nos comentários o vosso feedback.
Obrigado
A Gerência

A licença do blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.


Rubricas:

Além de uma nova história a decorrer no blog, acompanhem também a nova rubrica do blog 'PERDIDOS E ACHADOS DA VIDA', pequenos textos que incidem sobre... Leiam e descubram...

Pesquisa
 
Contacto
Mail:
contosepontos@sapo.pt
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
30
31


No baú...
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Citação do dia


Comentários recentes
Olá obrigada por me adiconares. Gostei mto de ler ...
http://asnossaspalavrasperdidas.blogs.sapo.pt/Novo...
Obrigado pelos elogios.Volta sempre!Quanto ao próx...
Há uns tempos que aqui não vinha . . . nem aqui ne...
Muito bonitas as tuas palavras...também sou uma ra...
Posts mais comentados
3 comentários
2 comentários
2 comentários
Eu escrevo para a...

Estou no...

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
blogs SAPO