Os TEXTOS que se seguem são pura FICÇÃO e qualquer semelhança com a REALIDADE é pura coincidência!
Este espaço permite-me dar-vos a conhecer todo o meu entusiasmo pelas palavras.


df @ 11:39

Sab, 10/10/09

 

Levantei-me da minha cama fria e solitária. Puxei o lençol e o fino cobertor para trás e fui até à janela. Abri a persiana e olhei o mundo estranho que se me apresentava. Os edifícios amontoavam-se à minha frente. Cimento e betão e um inúmero de pessoas estranhas eram a paisagem do meu dia-a-dia.

Momentaneamente fui atingida por uma enorme tristeza. Derramei uma lágrima inconscientemente. Não queria.. Estava cansada de chorar, de sofrer.

Coloquei a mão no meu ventre e massajei suavemente. Estava grávida de quase cinco meses e somente assim.

Naquele preciso instante, voltava a questionar-me se teria valido a pena lutar contra todas as diferenças, contra todos os conselhos contrários aos nossos desejos.

Quer dizer, no fundo, tínhamos tido momentos felizes, muito felizes mesmo. Mas a pressão tinha sido enorme e nem eu nem ele tínhamos conseguido suprimir todas as discussões, todas as contrariedades, todas as cobranças.

Em pouco menos de dois anos, tínhamo-nos conhecido, namorado, casado e agora íamos ser pais. Mas encontrávamo-nos a mais de cem quilómetros de distância... Física e emocionalmente...

Dirigi-me até à casa-de-banho, onde me despi e tomei um banho. A água quente misturava-se com as minhas lágrimas salgadas. Encostei-me à parede gelada de azulejo cinza claro e fechei os olhos. Tinha tantas recordações e não tinha ninguém com quem as partilhar...

 

A nossa pequena casa, construída na grande garagem da casa do irmão dele, num pequeno lugarejo de uma aldeia de Resende, era o nosso ninho de amor, onde éramos constantemente invadidos pela presença dos sobrinhos dele, dos irmãos dele, das irmãs, das cunhadas e dos cunhados, dos pais dele... Viviam praticamente numa comunidade, sem entraves à privacidade.

E agora estava sozinha. Não tinha aceite com naturalidade àquela invasão, tendo eu vindo de uma família com apenas três pessoas...

 



DESAFIO

Coloquei-vos há tempos o desafio de darem um TÍTULO à nova história que se irá desenvolver nos próximos meses aqui. Ainda não vos dei muita informação, a não ser que as personagens se chamam Rafael e Juliana e que trabalham na mesma empresa. Conforme vou publicando os posts, certamente irão perceber que há muitos segredos para serem revelados...
Além do título, também espero que deixem nos comentários o vosso feedback.
Obrigado
A Gerência

Rubricas:

Além de uma nova história a decorrer no blog, acompanhem também a nova rubrica do blog 'PERDIDOS E ACHADOS DA VIDA', pequenos textos que incidem sobre... Leiam e descubram...

Pesquisa
 
Contacto
Mail:
contosepontos@sapo.pt
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
13
14
15
16

18
19
20
21
23
24

25
26
28
30
31


No baú...
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
Olá obrigada por me adiconares. Gostei mto de ler ...
http://asnossaspalavrasperdidas.blogs.sapo.pt/Novo...
Obrigado pelos elogios.Volta sempre!Quanto ao próx...
Há uns tempos que aqui não vinha . . . nem aqui ne...
Muito bonitas as tuas palavras...também sou uma ra...
Posts mais comentados
3 comentários
2 comentários
2 comentários
blogs SAPO