Os TEXTOS que se seguem são pura FICÇÃO e qualquer semelhança com a REALIDADE é pura coincidência!
Este espaço permite-me dar-vos a conhecer todo o meu entusiasmo pelas palavras.


df @ 13:40

Seg, 30/11/09

- Ouviste o que eu disse.

- Sim, ouvi, mas parece que não entendi muito bem. - Aproximei-me dele e girei a sua cadeira, fazendo com que o seu corpo ficasse virado para mim. Tu também vais estar presente? A que propósito?

- Não sei, o advogado não me adiantou nada. Só disse que eu tinha de estar lá. Pensei que te tinha dito.

- Mas não disseste. - respondi, sentando-me na cama. - Não estou chateada por isso, porque eu também não te disse que vinha, mas o meu pai tem que fazer sempre das suas mesmo depois de morto!

- Não digas isso - Puxou a cadeira para próximo de mim e pegou-me na mão. - Eu sei que o teu pai te fez, melhor que ninguém eu sei. Mas eu conheci outra faceta dele, uma faceta generosa e compreensiva.

- Ele só foi assim contigo para compensar o mal que me fez.

- Acho que não acreditas nisso. Sabes perfeitamente que ele nunca se arrependeu de te ter educado como educou... Mas não vamos tirar conclusões precipitadas antes de se saber o que está escrito no testamento. - passou a palma da mão esquerda no meu rosto, num acto intencional, demasiado íntimo. Mas retirou-a imediatamente e a sua expressão alterou-se. - Afinal o que querias falar comigo?

- Queria-te falar sobre ontem.

- Explicaste-te, acho que já não há mais nada para dizeres. Fizeste-me fazer figura de palhaço à frente dos meus amigos com a tua reacção. Só isso - Voltou a olhar para o computador.

- Não foi minha intenção, Ricardo. Acredita. Só que estou...

- Já sei, Diana. Estás cansada de falar sobre a tua vida com os teus pais. Mas isso não te dá o direito de fazer o que fizeste. Eu perguntei-te por várias vezes se não te importavas que fôssemos ter com eles. - Voltou o rosto para mim e olhou-se de uma forma, que me gelou. - Eu só queria que tu os conhecesses. Só queria incluir-te de uma forma mais completa na minha vida, mas parece que ainda não estás preparada para isso. Compreendo, mas não desculpo o que fizeste. - fez uma pequena pausa, inspirou e disse - Sabes, parece que afinal não te conheço, o que se calhar é natural, já se passaram alguns anos. As pessoas mudam.

- Mas eu não mudei, Ricardo.

Mas ele não me quis ouvir. Pediu-me que o deixasse sozinho e que se eu quisesse podia voltar para o café, que depois me chamava para irmos os dois juntos para casa dos meus pais.

 



DESAFIO

Coloquei-vos há tempos o desafio de darem um TÍTULO à nova história que se irá desenvolver nos próximos meses aqui. Ainda não vos dei muita informação, a não ser que as personagens se chamam Rafael e Juliana e que trabalham na mesma empresa. Conforme vou publicando os posts, certamente irão perceber que há muitos segredos para serem revelados...
Além do título, também espero que deixem nos comentários o vosso feedback.
Obrigado
A Gerência

A licença do blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.


Rubricas:

Além de uma nova história a decorrer no blog, acompanhem também a nova rubrica do blog 'PERDIDOS E ACHADOS DA VIDA', pequenos textos que incidem sobre... Leiam e descubram...

Pesquisa
 
Contacto
Mail:
contosepontos@sapo.pt
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
20

22
23
24
26
27
28

29


No baú...
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Citação do dia


Comentários recentes
Olá obrigada por me adiconares. Gostei mto de ler ...
http://asnossaspalavrasperdidas.blogs.sapo.pt/Novo...
Obrigado pelos elogios.Volta sempre!Quanto ao próx...
Há uns tempos que aqui não vinha . . . nem aqui ne...
Muito bonitas as tuas palavras...também sou uma ra...
Posts mais comentados
3 comentários
2 comentários
2 comentários
Eu escrevo para a...

Estou no...

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
blogs SAPO