Os TEXTOS que se seguem são pura FICÇÃO e qualquer semelhança com a REALIDADE é pura coincidência!
Este espaço permite-me dar-vos a conhecer todo o meu entusiasmo pelas palavras.


df @ 15:09

Seg, 28/12/09

Ele seguia-a no seu carro, tendo a dada altura perdido a noção de onde se encontrava e já se questionava se teria feito bem aceder àquele convite.

Não sabia ao certo o receio, não sabia ao certo aquilo que lhe estava reservado, mas aqueles caminhos longe da cidade e mal iluminados não lhe agradavam.

Por fim, o carro dela abrandou e deu sinal para a direita, onde aguardavam que um grande portão de cor clara se abrisse. Ele conseguiu apenas visualizar um acesso em alcatrão, que se alongava em forma de arruamento até à lateral de uma enorme casa.

Estacionou o carro ao lado do dela, conforme as indicações de Juliana, saindo para ir ter com ela, que o aguardava perto da entrada frontal da casa.

- Não me digas que vives aqui! - exclamou. Perante o silêncio dela, depreendeu que era verdade. Na outra noite chamei-te princesa, por me teres deixado daquela maneira. Fizeste-me lembrar o conto da 'Gata Borralheira', mas parece que me enganei. És uma rainha e tens um castelo!

- Não exageres. - retorquiu, incomodada com a afirmação.

Ele subiu uma pequena escadaria e acompanhou-a para o interior de um amplo corredor, revestido a tijoleira castanha e paredes brancas, repleto de objectos decorativos impessoais. Viu alguns quadros pendurados e mobília trabalhada, que mostravam que a decoração se mantinha exactamente assim há já algumas décadas. A larga escadaria, que surgia do seu lado direito, dava a um segundo andar e era alcatifada, com um toque claro, sendo a úncia coisa que dava um aspecto mais habitável à casa.

Uma senhora alta e magra, com um simples uniforme de empregada, chegou praticamente no momento em que eles entraram.

- A Ema já chegou? - perguntou a Juliana.

- Não, senhora, ela foi buscar...

- Claro, eu é que cheguei mais cedo... Está bem, Ana. Nós vamos ali para o escritório. Traga-nos dois cafés.

- Quem é a Ema? - perguntou ele, agora curioso com tudo o que via.

Entraram numa divisão quadrada. As estantes de madeira escurecida ocupavam uma parede, com livros de publicidade, marketing e informática de um lado e de outro de medicina. Quase não havia lugar para romances ou policiais ou outros temas que não aqueles. Estava um sofá de pele castanha escura encostado à parede do seu lado esquerdo e uma secretária imaculadamente arrumada com o mesmo tipo de madeira das estantes à sua frente, recebendo a fraca luz do fim do dia por uma janela, com um cortina quase transparente bege.

- A Ema é outra empregada - respondeu ela, encostando-se à porte frontal da secretária, indicando-lhe o sofá.

- Bem, nem acredito que me trouxeste a tua casa. Nunca pensei que...

- Rafael, só pela casa, já deves ter percebido que há algo diferente entre nós. - adiantou ela.

- Porque és uma pessoa rica? Isso não é suficiente para me afastar de ti. - respondeu ele, seguro de si.

- Suponho que não. - respirou fundo, preparando-se para reviver um pouco do passado e da dor... - Bem, é o seguinte. Tu trabalhas na 'Ideias e Companhia' há quase cinco anos, certo?

Esperou que ele acenasse afirmativamente e prosseguiu:

- Deves lembrar-te então do outro sócio do José, o Filipe - só o facto de pronunciar o nome dele já a magoava.

- Sim, eu estava lá há pouco tempo, não o conheci muito bem, porque pouco tempo depois soube que ele se...

- Se suicidou! É a verdade! Podes dizê-lo. O cobarde suicidou-se!

 

 

 

 

Nota: O nome da empresa surgiu naturalmente, qualquer semelhança com a realidade, tal como a história, é pura coincidência.

 



DESAFIO

Coloquei-vos há tempos o desafio de darem um TÍTULO à nova história que se irá desenvolver nos próximos meses aqui. Ainda não vos dei muita informação, a não ser que as personagens se chamam Rafael e Juliana e que trabalham na mesma empresa. Conforme vou publicando os posts, certamente irão perceber que há muitos segredos para serem revelados...
Além do título, também espero que deixem nos comentários o vosso feedback.
Obrigado
A Gerência

A licença do blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.


Rubricas:

Além de uma nova história a decorrer no blog, acompanhem também a nova rubrica do blog 'PERDIDOS E ACHADOS DA VIDA', pequenos textos que incidem sobre... Leiam e descubram...

Pesquisa
 
Contacto
Mail:
contosepontos@sapo.pt
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16

21
24
25
26

27
29
30
31


No baú...
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Citação do dia


Comentários recentes
Olá obrigada por me adiconares. Gostei mto de ler ...
http://asnossaspalavrasperdidas.blogs.sapo.pt/Novo...
Obrigado pelos elogios.Volta sempre!Quanto ao próx...
Há uns tempos que aqui não vinha . . . nem aqui ne...
Muito bonitas as tuas palavras...também sou uma ra...
Posts mais comentados
3 comentários
2 comentários
2 comentários
Eu escrevo para a...

Estou no...

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
blogs SAPO